Tuesday, June 26, 2007

Axexê - 1975

Axexê - LP - K7 – Cáritas - 1975

1.Tocororô/Axexe Mojibá/Ofé ié airicó/Tá Um batacum; 2.amura Sebiná/Dabiuá Kokê/Corajá Ojarê; 3.Odurô Oi Ku Aiê/Auê Má Oiá; 4.Sim Azim La Gogéia/Ziriná Cota Moda; 5.Tambô Afã/Bangô Tatê/Simbe Ke Um/Xóra Kum Kangá; 06.Robobô Oiá/Oiá Tu Felebé; 07.Ta No Bongoiô/Xóra Muketum/ Ta I Mam/Kuenda Maionguê/Omulukum ê Maxá Ire; 08. Alá Uma Fá Gogó/abiku Alá Ore; 09..Airá Bikuô/Nio Kuô tauê Xê; 10..Sobá Birelê/Ená Dirê; 11 Banja Banja Cururu/Aê Aê Rumbê; 12.Ai Ku Balelê/E ku Olo Zan;

Gabriel s. Carvalho - Alabê Huntó Geí

Axexê: cerimônia realizada após o falecimento de alguém iniciado no candomblé.

A palavra Axexê é uma corruptela de ajeje , nome específico dado à trouxa das coisas que sai para ser posta fora, conforme veremos. O axexê, como o ipadê sempre foram rituais feitos pelos descendentes religiosos do reino de Ketu, dos caçadores, do qual Oxossi foi seu rei, tanto assim que até hoje está presente essa marca no canto que inicia o axexê:

Axexê oni mo juba....
O axexê é hoje meus respeitos

Axexê, omo ode........
O axexê, do varão caçador

Axexê Olorun Baba o...........
Axexê ó Deus Pai Axexê,

Axexê omo ode........
O axexê,o axexê do varão caçador

Quando um iniciado no candomblé morre, junta-se todos seus pertences pessoais utilizados em sacrifícios e obrigações, como roupas, colares e os assentamentos de santo e se faz uma consulta oracular para se saber do destino dos objetos separados, se ficam com alguém. Em caso positivo, o objeto ou objetos em questão é lavado com ervas sagradas e entregue ao herdeiro ou herdeiros revelado(s) no oráculo, e em caso negativo, o objeto é separado para junto com os demais e, após serem os colares rompidos, as roupas rasgadas e os assentamentos quebrados, são colocados em uma trouxa que será entregue em um local também indicado pelo oráculo.
Normalmente, a trouxa, chamada de Carrego de Egum, é acompanhada de um animal sacrificado, indo de uma única ave à um quadrúpede acompanhado de várias aves, dependendo do grau iniciático do morto. E ainda, se o falecido era um iniciado de pouco tempo, basta um lençol branco para embalar o carrego, se se tratava de alguém mais graduado, o carrego é colocado em um grande balaio, o qual é depois embalado no lençol.

O processo de preparação e entrega, ou despacho do Carrego de Egum é a cerimônia fúnebre mínima que se dedica a qualquer iniciado no candomblé quando morre. As variações surgem, como foi já colocado, dependendo do grau iniciático ao qual pertencia o morto mas também da Nação em que fora iniciado. Se o morto era uma pessoa graduada na religião é que mereceria um Axexê. O Axexê nesses casos antecede ao Carrego de Egum e consiste em uma, três ou seis noites de cânticos e danças na qual se celebra a partida do iniciado para o outro mundo, rememorando o nome de outros iniciados já falecidos e, enfim, os eguns em geral. Canta-se também a certa altura para os orixás, menos para Xangô e Oxalá para os quais se canta no depois da entrega do carrego no ritual do arremate.
Ritual de axexé
Todos os participantes devem vestir branco, a cor do nascimento e da morte no candomblé, e devem estar com a cabeça e os ombros cobertos. Obedecem-se vários preceitos rígidos de comportamento dentro do terreiro durante todo o processo, para evitar melindrar o espírito que está sendo respeitosamente despedido. Depois do carrego despachado, canta-se o arremate no dia seguinte à tarde, antes do pôr-do-sol, as mesmas cantigas do Axexê são ainda entoadas e no final são louvados os orixás, e empreende-se uma limpeza ritual do terreiro, com a participação eventual dos orixás que porventura tenha se manifestado em seus médiuns.
Ao longo do Axexê mesmo somente orixás mais ligados à morte como Oyá-Iansã, Obaluaiyê, Ogum, etc. costumam se manifestar. No caso em que o morto era um pai ou mãe de santo cujo terreiro permaneceu ainda aberto, costuma-se repetir o ritual um, três, seis meses, e um, três, sete anos depois do Axexê inicial.


O sirrum

O Axexê também é conhecido pelos nomes de sirrum e zerim, nomes em Língua Fon significando os instrumentos que são percutidos em substituição aos atabaques. Sirrun, é corruptela de sinhoun, de sin água e houn tambor. O sirrum é uma metade de cabaça emborcada em um alguidar onde se encontra uma mescla de substâncias líquidas e o zerim é um pote com certas substâncias dentro que é percutido com um leque de palha dobrado em dois. Quando se trata de uma pessoa especialmene antiga e poderosa na religião, o Axexê é tocado com atabaques mesmo, com os couros ligeiramente afrouxados para serem depois também despachados no carrego. Em alguns terreiros da Nação Ketu também se usa tocar Axexê com três cabaças: duas inteiras e uma com a ponta cortada.

O disco é excelente, com o alabê Gabriel cantando muito bem. O coral canta no limite, naquele típico quase-semi-tom, mas não chega a desafinar e não incomoda. Os músicos são maravilhosos e uma pena que não venha informação alguma sobre eles.


Para ouvir a faixa 04, "Sim Azim La Gogéia/Ziriná Cota Moda", clique abaixo:

8 comments:

azarongy said...

ola, motumbá
primeiramente quero parabeniza-lo por esse blog e dizer q o seu acervo é extraordinário. segundo gostaria de saber como faço pra adquirir uma cópia desse lp: Axexe(Gabriel Souza Carvalho)- Caritas-1975, pois sei q meu babalorisá tinha uma lp desse porem ficou velho e riscado hj não toca mais. ou se possivel um cd com as mesmas faixas. Desde já fico-lhe grato.

azarongy said...

ah se possivel entre em contato comigo através do e mail : mjsantana21@hotmail.com
mjsantana21@gmail.com

no aguardo : Azarongy

Yan Kaô (Obashanan) said...

Obrigado Azarongy, pelas palavras de incentivo. Vamos entrar em contato!! Saravá!!

Anonymous said...

intiresno muito, obrigado

j-rsantos said...

gostaria de saber como posso comprar o cd ou a fita cassete?

Yan Kaô (Obashanan) said...

Oi, JR, escreva prá nós em ayom77@gmail.com

Edson de Òsháguiãn said...

Adorei vc ta de Parabéns e espero que vcs também siga também o meu Blog o Link é esse : http://ileaxeossaguian.blogspot.com/
Obriga fico Grato se vcs me Add !!!!!!!!!!

landau80dorge75 said...

Ola fiz um comentário sobre meu tio Gabriel no acervo tambor ele era irmão de meu pai Zé de oxossi ambos filhos de Octávio da ilha amarela Bahia de uma olhada e copie o link e parabens por resgatar nossa cultura.asė